Criando filhos para a morte!

Talvez alguém possa pensar que este tema seja forte demais. Entretanto, é aquilo que muitos pais estão fazendo, criando seus filhos para a morte.

Não se pode ter uma visão “irreal” da “realidade” em que vivemos. Criar os próprios filhos para a morte é uma covardia. Assim sendo, é preciso saber em quais circunstâncias isso ocorre.

O que penso:

1 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam de ensiná-los.

“Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar. Amarre-as como um sinal nos braços e prenda-as na testa. Escreva-as nos batentes das portas de sua casa e em seus portões”. Dt 6.7-9-NVI

Ensinar aos filhos os princípios de Deus é um antídoto contra a morte.

2 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam de atentar para as amizades de seus filhos.

“O homem honesto é cauteloso em suas amizades, mas o caminho dos ímpios os leva a perder-se”. Pv 12.26-NVI

Verificar quem são os amigos de seus filhos é um antídoto contra a morte.

3 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam de dar exemplo.

“Em tudo seja você mesmo um exemplo…”. Tt 2.7-NVI

“O homem justo leva uma vida íntegra; como são felizes os seus filhos!” Pv 20.7-NVI

Ser exemplo para os filhos é um antídoto contra a morte.

4 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam de lado os valores da Palavra de Deus.

“Como são felizes os que andam em caminhos irrepreensíveis, que vivem conforme a lei do SENHOR!” Sl 119.1-NVI

Sinalizar para os filhos os valores da Palavra de Deus é um antídoto contra a morte.

5 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam de corrigir seus filhos.

“Não evite disciplinar a criança; se você a castigar com a vara, ela não morrerá”. Pv 23.13-NVI

“Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor”. Ef 6.4-NVI

Corrigir os filhos sempre que for necessário é um antídoto contra a morte.

6 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam seus filhos tomarem decisões que ainda não poderiam fazê-lo sozinhos.

“Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar”. Dt 6.7-NVI

Decidir pelos filhos quando estes ainda são imaturos é um antídoto contra a morte.

7 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam de dizer não.

Dizer não para os filhos em alguns momentos é um antídoto contra a morte.

8 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam de dizer a verdade aos seus filhos.

“Aquele que é íntegro em sua conduta e pratica o que é justo, que de coração fala a verdade”. Sl 15.2-NVI

Falar a verdade aos filhos é um antídoto contra a morte.

9 – Os pais entregam seus filhos aos abutres quando deixam que eles amem mais o mundo que a Deus.

“Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Rm 12.2-NVI

Proteger os filhos dos valores deste mundo é um antídoto contra a morte.

10 – Os pais entregam seus filhos para a morte quando deixam de notar que existe uma luta espiritual.

“Pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais”. Ef 6.12-NVI

Atentar para a realidade do combate espiritual é um antídoto contra a morte.

Lembre-se de que seus filhos são herança de Deus. São presentes de Deus. Assim, cuide para que eles não sejam criados para a morte.

COMMENTS (1)
Responder

Estudo muito bom
Gostaria de receber notificações …

Deixe um comentário

Comentário (obrigatório)

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem.” Efésios 4.29

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)