ODRES NOVOS – Cheios de Azeite!

ODRES NOVOS – Cheios de Azeite!

ODRES NOVOS – Cheios de Azeite!

ts-awesome-cloud-download Lição 3 – Download

“Agora ordene aos filhos de Israel que tragam azeite puro para que as lâmpadas fiquem sempre acesas.” (Lv 27:20)

 

Vimos na lição passada que o odre também é um recipiente utilizado para carregar água e que, a palavra de Deus é muitas vezes representada pela água, que nos lava e purifica (Jo 17:17).  Nesta lição veremos mais uma utilidade do odre: a de armazenar azeite.

O azeite tem algumas funções e representações interessantes na bíblia. Um deles era ser o combustível que permitia manter as lâmpadas do tabernáculo acesas, que na época tinham pavios de pano torcido ou algodão (Êxodo 27.20). “Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra”, diz o salmista (Sl 119:105), e o Espírito Santo é o “combustível” que alimenta em nós a chama da palavra (Jo 14:26).  Como odres, precisamos ser cheios do Espírito Santo.

Todo cristão comprometido com Deus deseja do fundo do coração ser cheio do Espírito Santo. Mas, para que isso aconteça é preciso esvaziar o coração de tudo o que nos afasta do Senhor. A palavra ‘esvaziar’ significa ‘tornar vazio, desocupar’. Isto é, devemos desocupar a nossa casa espiritual (coração) para dar lugar ao Espírito de Deus. Se estivermos cheios de orgulho, vontade própria, vaidade, raiva, murmuração etc, então o Espírito Santo não terá espaço para atuar em nossas vidas.

É por isso que poucos vivem cheios do Espírito Santo, pois não querem negar a si mesmos e ter uma vida de obediência. Devemos seguir o exemplo de Paulo que abriu mão dos seus títulos religiosos, reconhecimento das pessoas e negou a sua vida para viver os planos de Deus. Veja o que ele disse: “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2:20).

Enquanto não morremos para o nosso eu, não poderemos experimentar uma vida cheia do Espírito Santo. A Bíblia diz que “a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam” (Gálatas 5:17).

É impossível alguém ser controlado pela carne e viver a plenitude do Espírito. Para sermos cheios do Espírito Santo precisamos crucificar as obras da carne (Romanos 8:5) e renovar nossa mente dia após dia com a Palavra de Deus (Rm 12:1,2). Não é algo fácil, pois requer disciplina e perseverança, mas o resultado é maravilhoso! Quando estamos cheios do Espírito Santo, nós produzimos os frutos do Espírito: amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio” (Gálatas 5:22,23) e experimentamos a presença de Deus constantemente no nosso coração.

No AT, além das lâmpadas dos castiçais, outros fogos deveriam permanecer acesos, um deles era o fogo do altar do holocausto (temos também um altar – Lv 6:8-13; Hb 13:10; Rm 6:10).  É necessário que o fogo do Espírito sempre esteja aceso, para que cada crente possa renovadamente viver pelo poder da cruz.  Outro era o fgo do altar de incenso (Ex 30:8).  Sem o fogo nesse altar a fumaça do incenso não podia subir.  Assim também nós precisamos do fogo do espírito Santo para manter a nossa vida de oração em dia (Rm 8:26; Jd 20).

O conselho do apóstolo Paulo em sua carta aos Romanos, capítulo 12 versículo 11: “Sede fervorosos” é uma ordem dada ao povo de Deus no Novo Testamento.  Da mesma forma que o fogo deveria ser conservado aceso, na antiga aliança, assim também importa que vivamos na dispensação do Espírito (2 Co 3:6).  O fogo representa nossa comunhão com Deus (Ef 2:10), precisamos deste fogo constantemente em nossa vida (Gl 5:16) e no nosso serviço à Deus (Rm 12:11).

O grande desafio hoje é conservar a chama do fogo do Espírito Santo sempre acesa.  A palavra do Senhor determina que: “O fogo arderá continuamente sobre o altar e não se apagará” (Lv 6:13).  Fogo apagado é sinal de advertência.  Um farol apagado é um perigo.  Assim também é um crente, cujo coração estiver apagado. Quando o fogo se apaga o amor se esfria (Mt 24:12; Ap 2:4-5).  Veja o exemplo do sacerdote Eli, deixou o fogo se apagar e perdeu seu ministério.  Primeiro perdeu o discernimento das coisas de Deus (1 Sm 1:24) também perdeu o zelo contra o pecado (1 Sm 2:29) e perdeu também o temor (1 Sm 2:27-36).  Morreu tragicamente e a arca (que simbolizava a presença de Deus)  foi roubada (1 Sm 4:18-22).  Um profeta que perde o fogo de Deus se torna um perigo (1 Rs 22:24; 1 Sm 22:11), assim um crente cuja lâmpada esteja apagada, se põe em risco (Mt 25:6-10).  A palavra do Senhor diz: “Não extingais o Espírito” (1 Ts 5:19).  “Não desprezeis o dom…” (1 Tm 4:16).

O QUE PODE APAGAR O FOGO DO ESPÍRITO SANTO EM NOSSA VIDA?

  • Atitude de desobediência ( At 5:32; ! Sm 10:1-10; 15:19; 16:14; 15:22-23)
  • Quando se permite que a carne tenha domínio (Ex: Sansão – Jz 16:19,20,22-30)
  • Orgulho (Gl 5:25-26; Jo 16:14)

Uma vida de comunhão com Deus deve ser uma experiência contínua na vida do crente e é o antidoto contra este “apagão” em nossas vidas.

Aplicando a lição:

Classificando de 0 a 10, qual nota você daria a você mesmo para a sua vida de oração e comunhão com Deus?  Você está satisfeito com essa nota?  Se não, o que você pode fazer para melhora-la?

Que diferença você sente em você, quando sua vida de oração diária, leitura da palavra e comunhão com Deus estão alinhadas de quando não estão?  O que muda em você?

COMMENTS (1)
Responder

___123___ODRES NOVOS – Cheios de Azeite! – Comunhao Crista Verdade e VidaComunhao Crista Verdade e Vida___123___

Deixe um comentário

Comentário (obrigatório)

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem.” Efésios 4.29

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)